Com alto investimento em tecnologia, entra em atividade unidade produtora de leitões em Rio Negro

Categoria: AGRICULTURA, FCO, SUINOCULTURA | Publicado: segunda-feira, junho 27, 2022 as 14:03 | Voltar

Campo Grande (MS) – Entrou em operação na semana passada a UPD (Unidade de Produção de Leitões Desmamados) da Fazenda Santo Antonio da Conquista, localizada no município de Rio Negro, região Norte de Mato Grosso do Sul. O projeto utiliza alta tecnologia no trato com os animais, primando pelo bem-estar e a sustentabilidade. O empresário Edson Cristofolini – que tem vasta experiência em suinocultura em seu Estado natal, Santa Catarina – está investindo cerca de R$ 19 milhões no empreendimento, sendo que cerca de R$ 15 milhões foram financiados pelo FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste).

“Fomos atraídos para cá pelo potencial que o Estado apresenta, pelos incentivos que o governo oferece e o assessoramento da Semagro na contratação dos financiamentos junto ao FCO, que ajudou muito. Também o processo de licenciamento ambiental foi bastante ágil, isso tudo favorece”, destacou o empresário. A UPD de Rio Negro tem capacidade acomodar para até 4 mil matrizes e a área total da edificação é de 1.6 hectare.

O superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Bruno Gouveia, acompanhado da assessora coordenadora de Incentivos Fiscais e Financiamentos, Eli Sandra Francisco, foram a Rio Negro na sexta-feira (24) conhecer a unidade. Gouveia destacou o trabalho que o governo do Estado vem fazendo para atração de investimentos no setor, citando a participação no SIAVS (Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura), cuja edição acontece em agosto; o Programa Leitão Vida e a viabilização de recursos do FCO para movimentar a atividade.

A intenção de trazer uma UPD a Mato Grosso do Sul é antiga. Em junho de 2020, o empresário Edson Cristonolini acompanhado de seu irmão, Gerson, já haviam apresentado o projeto ao secretário da Semagro, Jaime Verruck, em reunião intermediada pelo presidente da Cooasgo (Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste), Sérgio Marcon. Na época eles entraram com a documentação necessária para obter a Licença Ambiental Prévia junto ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que foi concedida no ano seguinte.

O diferencial do projeto está no uso de equipamentos de alta tecnologia tanto para manejo dos animais quanto para dar destinação adequada aos dejetos, garantindo a sustentabilidade e impedindo que haja contaminação ambiental. Edson destaca a ração servida de forma automática e a climatização dos barracões, “tudo pensando no bem-estar animal”.

Além dos barracões de gestação e maternidade que acomodam as matrizes e os leitões, o projeto contempla fossa séptica, lagoas de estabilização dos dejetos e um biodigestor que vai produzir biogás usado na geração de energia elétrica. Outra parte dos resíduos se transforma em fertilizante agrícola de modo que tudo será reaproveitado num método de economia circular sustentável.

A implantação do projeto foi aprovada pelo Imasul e segue as normas técnicas. O órgão ambiental exigiu, para que o empreendimento fosse licenciado, a apresentação de Relatório Técnico de Conclusão acompanhado de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), Plano de Auto Monitoramento (PAM), Anotação de Responsabilidade Técnica - ART; e o comprometimento por parte do empreendedor de cumprir o disposto nas normas ambientais e técnicas aplicáveis para resíduos sólidos definidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Publicado por: João Prestes

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.