Nível dos rios começa a baixar, mas Imasul mantém alerta e monitoramento

Campo Grande (MS) – Depois de atingir a cota de emergência, o nível dos rios de Mato Grosso do Sul começou a baixar. O monitoramento diário é feito pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), órgão vinculado a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

No dia 2 de janeiro o Rio Miranda atingiu 7,04 metros, volume suficiente para que a Sala de Situação acionasse a Defesa Civil e fossem tomadas medidas emergenciais no município de Miranda. O alerta é feito sempre que o Rio chega a um nível em que pode causar danos materiais e desabrigar famílias.

Nesta sexta-feira (12) o Rio Miranda saiu da cota de emergência, mas continua em alerta. De acordo com a Sala de Situação a previsão de chuva continua, mas em volumes menores nos próximos dias. Mesmo assim a equipe do Imasul continua de prontidão para que alterações sejam avisadas com rapidez.

Já o Rio Taquari, em Coxim, atingiu a cota de emergência nesta semana ao chegar aos 5,16 metros.  O nível baixou para 4,78 metros hoje (12), mas segue em alerta para a possibilidade de novas cheias.

O Rio Pardo que passa pela Fazenda Buriti também está em alerta, com 5,99 metros e sendo monitorado constantemente pela equipe do Imasul.

A Sala de Situação do Imasul monitora os leitos dos principais rios do Estado em 12 pontos e informa a Defesa Civil sempre que o nível supera o limite considerado de alerta ou emergência. Além da Sala de Situação, a Semagro dispõe de outro importante instrumento para orientar o poder público e a população em geral sobre mudanças bruscas no clima e tempo: o CEMTEC (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul).

Foto: Maikon Leal/Coxim Agora