Com 5 lojas, grupo planeja quadruplicar rede e construir Centro de Distribuição em MS

Campo Grande (MS) – Diretores do grupo paulista Montreal Magazine se reuniram na manhã desta quarta-feira (21) com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, para apresentar um ambicioso projeto de expansão no Estado que prevê a ampliação da rede (hoje são 5 lojas e podem abrir mais 18 nos próximos anos), além da construção de um Centro de Distribuição com sede em Mato Grosso do Sul para enviar mercadorias a todas as cidades do país em que a marca está presente.

Participaram da reunião – além de Verruck – o diretor-presidente da Montreal Magazine, José Antônio da Fonseca; o diretor financeiro Fernando Fonseca, o gerente administrativo Camilo Lellis, e também o superintendente de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo da Semagro, Bruno Gouveia.

A Montreal Magazine está presente em Aquidauana, Naviraí, Dourados, em Campo Grande inaugurou loja nesta terça-feira (20), na rua 14 de Julho; e em dezembro abre outra filial em Três Lagoas. Já emprega 250 pessoas e em 5 anos, com a expansão prevista da rede, deve dar trabalho para mais 600. Só na loja da Capital o investimento foi de R$ 3,5 milhões. A intenção é abrir mais cinco lojas em Campo Grande e outras em 13 cidades do interior, afirmou o diretor financeiro Fernando Fonseca.

A empresa tem sede em Mogi das Cruzes (SP) e 40 lojas espalhadas pelo interior paulista e agora entra no mercado sul-mato-grossense. Trabalha com roupas das linhas infantil a adulto, moda casa e utilidades domésticas. Experimenta um arrojado crescimento nos últimos quatro anos, com média superior a 20% ao ano, o que o diretor-presidente credita à política de preços competitivos.

Em Mato Grosso do Sul, o projeto mais atraente é a construção do Centro de Distribuição, investimento que pode chegar a R$ 5 milhões e gerar pelo menos 50 empregos diretos. Jaime Verruck detalhou aos diretores as linhas de incentivos fiscais que o Estado oferece para empreendimentos dessa natureza, bem como a possibilidade de financiamento pelo FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro Oeste), com taxas de juros bem mais baixas do que outras modalidades.

“É mais um grupo que chega forte no Estado nesse momento importante de crescimento de nossa economia”, ponderou Jaime Verruck. Em reuniões próximas serão avaliadas as cidades que possa sediar o Centro de Distribuição, assim como detalhamento dos incentivos fiscais.